Avicultura: qual a solução para o setor nos dias de inverno?

O cuidado constante no setor da avicultura tem colocado o Brasil como um dos principais exportadores do mundo, neste segmento. E para manter-se no topo desse ranking, uma série de ações vem sendo colocadas em prática para garantir uma produção animal cada vez melhor. Entretanto, com o inverno se aproximando, chega também mais um desafio para os avicultores no Brasil: manter as aves bem aquecidas e em um ambiente agradável e sem estresse. Mas em meio a tantas temperaturas baixas nos campos, o que fazer para que a estação mais fria do ano não prejudique o desempenho desses animais?

De acordo com o engenheiro da Metalúrgica Debona, Paulo Henrique Favaretto, empresa especializada na instalação de equipamentos para avicultura, uma das alternativas mais usadas vem sendo a utilização de aquecedores automatizados em granjas. “Este tipo de equipamento automatizado, ligado à energia elétrica, pode ser usado em praticamente todas as fases da vida das aves, desde o nascimento até a fase adulta”, comenta.

No entanto, Paulo afirma, ainda, que para garantir que os aquecedores estejam cumprindo sua funcionalidade, algumas medidas devem ser tomadas. “Como estes aparelhos funcionam a partir da energia elétrica, para garantir que o aquecimento dos aviários seja constante, é necessário que estes [aquecedores automatizados] estejam conectados a equipamentos como nobreaks, o que garante que seu funcionamento não seja interrompido e com isso temos o monitoramento do sistema automático evitando assim a queda brusca de temperatura no aviário”, afirma.

Customização de projetos
A customização de projetos para o setor do agronegócio vem se tornando cada dia mais habitual. Para a coordenadora de marketing da NHS, Débora Skrobot, empresa fabricante de nobreaks no Brasil para este setor do agronegócio, cada cliente possui necessidades específicas e diferentes demandas. Para atender este segmento, disponibilizamos um amplo mix de produtos e projetos customizados.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *