Produção de soja responsável RTRS aumenta 30%

Produção de soja responsável RTRS aumenta 30%

Apenas entre 1 e 2% da produção mundial de soja possui a certificação responsável, mas a presidente da Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS), Marina Engels, acredita que esse cenário pode aumentar nos próximos anos se a demanda por créditos e a produção aumentar.

O Conselho Executivo da RTRS aprovou recentemente apoio ao Manifesto do Cerrado, uma declaração elaborada por mais de seis organizações do Brasil que convida as empresas e os investidores a tomar medidas urgentes para garantir que suas cadeias de suprimentos de soja e carne não contribuam para desmatamento e conversão de áreas naturais para a agricultura.

Os signatários argumentam que o Manifesto poderia inspirar ações nos moldes da Moratória da Soja Amazônica, em que o setor privado aprendeu que é possível produzir commodities, evitando cadeias de suprimentos relacionadas ao desmatamento, mas Engels declara que o board RTRS não pensa que a moratória é uma solução duradoura.

“Embora apoiemos o manifesto, acreditamos que a certificação RTRS é uma maneira possível de ajudar os agricultores a produzir de forma ainda mais sustentável em longo prazo. Precisamos motivar os agricultores a avançar nas práticas agrícolas sustentáveis e para a certificação como uma opção”, comenta.

As fazendas de soja no Brasil são muito mais sustentáveis do que costumavam ser. “É um trabalho em progresso”, enfatiza. “Muitos agricultores da região do Mato Grosso, por exemplo, tem o programa Soja Plus, o que facilita a mudança na certificação RTRS”, acrescenta. Ela diz que a certificação RTRS vem com o bônus de créditos, que podem ser vendidos no mercado aberto, entre outros benefícios.

Benefícios da certificação para produtores

Eles são economias adicionais para produtores credenciados: “Como fazendeiro de soja, se você está certificado, você pode ter taxas de juros mais baratos de bancos, melhores ofertas de seguros e taxas de sindicato mais baixas”, diz.

Marina acrescenta que a certificação da RTRS também pode ajudar os produtores de soja em termos de relacionamento com a comunidade em geral, e pode garantir uma melhor dinâmica entre um gerente de fazenda e os funcionários.

No entanto, ela disse que ainda há uma necessidade de tornar o reconhecimento da RTRS mais interessante para aqueles que ainda não estão certificados, de modo a incentivar uma maior aceitação e que se resume a impulsionar a demanda à cadeia de suprimentos.

“Desde que entrei no conselho e me tornei presidente, o que decidimos e denunciamos como nossa principal prioridade não foi tanto a necessidade de aumentar a produção de soja sustentável, mas também aumentar o compromisso e a demanda pelos créditos de soja e soja física”, conta.

“Todo mundo precisa ser mais comprometido. Estamos aumentando nossa produção de soja RTRS em 30 ou 40% ano a ano. O problema é que a compra dessa soja sustentável não está aumentando na mesma taxa. Verdadeiramente, a produção está crescendo a um bom ritmo, é a demanda que falta. Esse será o tema principal da nossa conferência em Lille, na França, em maio do próximo ano”, explica.

Compromisso

Ela teve uma série de encontros com vários usuários de soja na Europa nas últimas semanas. “Nós vemos que há um compromisso de melhorar as coisas e aumentar a demanda. Acho que iremos ver um levantamento bastante cedo. Curiosamente, em termos de soja certificada, estamos vendo maior interesse de setores, como o de peixe, não apenas na Europa, mas também na Ásia e na América do Sul” avalia. A crescente pressão das organizações internacionais e determinações, como o Acordo de Paris sobre as alterações climáticas, ajudam em termos de um aumento da procura de soja responsável.

“O que estamos vendo é que também é uma questão de a RTRS gerar as ferramentas necessárias para implementar os compromissos assumidos – de empresas de alimentação, varejistas e de serviços de alimentação –  para a produção de soja responsável. Em breve, vamos lançar mais opções de soja RTRS com base regional. Por exemplo, você poderá comprar produto RTRS para a soja produzida em Mato Grosso. Nós não tivemos essa opção antes”, pontua.

Plataforma de crédito RTRS

Ao adquirir soja RTRS, uma empresa pode demonstrar seu interesse e empenho em incentivar uma forma de produção ambientalmente adequada, socialmente correta e economicamente viável, afirma a organização.

Uma tonelada de soja certificada é equivalente a um crédito de produção responsável de soja, e pode ser trocada por meio da Plataforma de Negociação de Crédito da RTRS, de acordo com o Padrão RTRS.

Uma vez que adquiram os créditos RTRS, empresas ou organizações podem fazer reivindicações públicas por ter apoiado a produção responsável. “Eles podem aumentar a visibilidade do seu suporte e comunicar diretamente aos clientes e aos consumidores finais usando o rótulo RTRS na embalagem”, finaliza.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *